Novo modelo pretende instalar pesagem automática nas rodovias federais

BALANÇAFoi divulgado nessa semana um relatório da Controladoria Geral da União-CGU um relatório que mostrava que os postos de pesagem de veículos nas rodovias federais necessitam passar por um sistema de aperfeiçoamento. Faltam recursos para a construção e reforma dos locais e para a contratação de agentes de trânsito e policiais rodoviários federais, além do tamanho dos estacionamentos, que não é mais adequado ao fluxo e à dimensão da frota. Outro gargalo é a falta de definição na responsabilidade pela guarda dos veículos retidos para transbordo do excesso de carga.

O trabalho avalia a execução de programas do governo, com foco nas operações do sistema de pesagem de veículos. De acordo com o relatório, o objetivo do estudo é evitar a deterioração precoce das rodovias federais, causada pelo tráfego de veículos com excesso de peso.

A CGU avaliou os 35 postos em operação no país. Mais problemas constatados são a ausência de equipamentos e sistemas necessários para executar o serviço, além da falta de infraestrutura adequada, com alta incidência de problemas de sinalização. Outro fator prejudicial é a constatação de que o atual sistema de pesagem não se encontra isento de rotas de fuga – há veículos que executam desvios para evitar a fiscalização.

De acordo com  o relatório, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) propôs uma alteração do atual Plano Diretor Nacional Estratégico de Pesagem. A ideia é instalar no Brasil um novo sistema de pesagem, mais moderno e semelhante ao de outros países, com componentes eletrônicos capazes de medir o peso dos caminhões de forma automática, com respeito à velocidade da vida, sem necessidade de parada.

Em nota, o Dnit informou à Agência CNT de Notícias que o novo sistema está em desenvolvimento desde agosto de 2012, em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Segundo o órgão, a pesagem em movimento será uma inovação tecnológica para os padrões brasileiros. As vantagens são a diminuição no tempo de parada no processo de fiscalização e diminuição do número de agentes público envolvidos no processo.

O Dnit assegura que já iniciou a preparação dos editais para lançar o novo modelo no mercado, cuja licitação está prevista para o mês de junho deste ano. A expectativa é que o método diminua o número de veículos com excesso de peso nas estradas, o que pode resultar em, menos gastos de manutenção e menor risco de acidentes.

Para ler mais notícias, clique em  blog.juizdeforadiesel.com.br . Informações sobre a Juiz de Fora Diesel visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *